Casamento: diário de um dia perfeito

sexta-feira, 30 de novembro de 2012



Viviane e Alan se casaram em maio desse ano. Adoro demais este casal! Vivi foi uma das noivas mais carinhosas e delicadas que eu já tive. A noiva que todo cerimonialista sonha em ter!

Ela escreveu esse texto descrevendo toda emoção e alegria que sentiu durante os preparativos do casamento e claro: no grande dia!!! Sugiro ler com um lencinho de papel na mão ;-)

"À medida que os anos passam, vamos amadurecendo e, desta forma, nos reinventamos em relação a alguns conceitos... Foi assim que, no dia do meu casamento, aos 35 anos, consegui entender verdadeiramente a sensação de ”felicidade”.

Todo mundo deseja essa “tal” felicidade... Tanto que passamos parte de nossas vidas desejando-a em festas de aniversário, no nascimento de uma criança, em festas de fim de ano, na Páscoa, e por aí vai... Mas o que é realmente a felicidade, que todos nós buscamos e corremos atrás? Nós, seres humanos, encaramos este sentimento como algo distante, lá longe, que devemos lutar muito para alcançar! Quem não quer ser merecedor da felicidade?

Demorei a constatar que jamais conseguiremos ser felizes na totalidade do tempo... Se pensarmos bem, nem Jesus conseguiu se sentir assim em toda a sua existência entre nós... Isto porque a felicidade sempre foi e sempre será constituída de pequenos momentos...
Podemos ser felizes em um passeio no parque, em uma noite agradável no cinema, ao receber um “eu te amo” do namorado no elevador após um dia cheio de trabalho, suada e descabelada... 
Sendo assim, porque temos tanta dificuldade em perceber e sentir esta “tal” felicidade? O problema são as cobranças e as idealizações! A sociedade nos cobra perfeição a todo o momento. Temos que ser bem sucedidos, bonitos, cheirosos, entendidos de tecnologia, fluentes no inglês, viajados para sermos interessantes... E neste contexto, nos tornamos vítimas, passamos a idealizar todas as situações... Idealizamos um jantar romântico, um pedido de noivado, um determinado comportamento de um amigo, um trabalho perfeito e sem problemas...

A tal idealização vira “um calo no sapato”... Faz-nos acreditar que se não foi do jeito sonhado, não pode ser bom... E assim nos tira do prumo, nos entristece, nos faz acreditar que não somos suficientemente felizes porque “nada” aconteceu da forma que esperávamos...

Sempre fui uma pessoa tranquila e alegre e confesso que os preparativos do meu “casamento dos sonhos”, em diversas situações, me deixaram com os “nervos à flor da pele”.  É um evento que envolve a emoção das pessoas, que gera também a inveja, comparações... Escutamos de “tudo” neste momento, que idealizamos para ser mágico e inesquecível... Descobrimos que o mundo não pára, a fim de que você possa curtir cada detalhezinho, cada flor, cada música, cada cheiro... A vida segue frenética com problemas de trabalho, com afazeres, com problemas familiares para administrar, com o final do mestrado, com a compra da casa nova, com o dinheiro que vai ficando apertado para os gastos diários...  Em alguns instantes, o que desejamos é ser abduzida para outro planeta...

Cheguei ao dia do casamento exausta emocionalmente, pois durante meses tive que segurar a ansiedade de meus pais... Do meu noivo... E a minha própria...  Acordei no dia “D” às 06 horas da manhã, ainda tinha alguns e-mails de trabalho para responder e, antes do horário marcado para o making of, tinha que passar no trabalho, no Centro da cidade, para assinar alguns documentos... Marquei um café da manhã com minhas amigas... Cheguei com duas horas de atraso! Em um nervosismo que não pertencia a mim, e que havia se instalado no meu corpo, me deixando totalmente sugada e insegura, pensei: Será que a maquiagem vai disfarçar as olheiras? Existe maquiagem para a insegurança??? Ai meu Deus!

Foi na hora do meu último banho solteira, dentro do banheiro do quarto do Copacabana Palace, em que sozinha, cheguei à melhor das minhas conclusões...
Uma voz sussurrou no meu ouvido: a felicidade está aqui e é feita de pequenos momentos, basta olhar com mais atenção... Emocionei-me... Pensei com toda a fé que existia em meu coração: A felicidade é o agora!

Como num passe de mágica, a ansiedade e a insegurança deram adeus... Não existia mais o medo de as borboletinhas não voarem... De alguém passar mal... De a decoração ficar feia... De ter gente demais na festa... De a igreja ficar vazia... De o Alan não estar feliz... De não ser feliz...
Naquela tarde, em frente ao espelho, daquele banheiro branco, dentro do quarto do hotel que sempre sonhei em me hospedar desde criança, pensei: “Obrigada meu Deus! Eu estou viva e estou aqui!”. Meu cérebro passou a funcionar com uma memória fotográfica, comecei a sentir e a registrar em pensamento cada passo daquele dia maravilhoso, que prometia ser ainda mais maravilhoso. Isto porque a felicidade naquele pequeno momento estava dentro de mim, e ela tinha a única missão: a de transbordar e contagiar a todos... E foi exatamente assim que aconteceu!

Ao sair do banheiro, a Malu Alves estava me esperando no quarto para fazer o penteado. Foi a oportunidade que encontrei para escrever meus votos... Sim! Escrevi meus votos no dia do casamento enquanto fazia o meu penteado! As palavras saíram com uma facilidade admirável, tão grande era o meu amor e o meu contentamento... Logo em seguida, Vivi Borlido fez a minha maquiagem, me deixando com sorriso de Barbie e depois Klacius iniciou a sessão de fotos...
Lembro-me de cada pose nos corredores do Copacabana Palace, dos turistas que sem nunca terem me visto na vida, paravam e me cumprimentavam, dizendo não terem visto noiva tão linda...

Lembro-me da porta da Antiga Sé abrindo-se, do sorriso largo da Manú, das suas doces palavras me convidando para casar... Que energia maravilhosa... Lembro-me do último olhar de meu pai, antes de entramos, de quando segurei firme em sua mão e perguntei se ele estava tão pronto como eu... 

Lembro-me da música perfeita do Delfim Moreira... Da decoração impecável de Maria do Carmo do Clube das Flores... Dos nossos convidados com olhos brilhando... Do tapete vermelho... Do sorriso do Frei Brás... Do olhar apaixonado do meu amor... Momento que por mais que eu tente, nunca conseguirei descrever aqui, mas que faz o meu coração bater mais forte e está guardado na memória do coração...

Lembro-me das borboletas, que deixaram o clima mais leve, mais bonito, mais especial, simbolizando a transformação, o desejo de sorte, e o amor na sua forma mais bonita... Um jardim que voa e de asas brancas... 

Lembro-me do corte do bolo, da primeira dança, da festa animada... Da decoração perfeita da Colombo de autoria da Alessandra e da Luana... De cada convidado com as mãos levantadas ao som do Dj Janot...  De cada abraço... De cada sorriso... Por alguns instantes me pegava olhando aquilo tudo e pensando: Este está sendo o momento de felicidade mais duradouro e intenso... Como posso agradecer a Deus toda esta felicidade? Será que mereço tanto??? Como sou grata a todos que estão contribuindo para esta noite...

Foi nesta hora que fechei os olhos e agradeci em forma de oração. Agradeci primeiramente a Deus e em seguida rezei para os meus convidados, para os meus pais maravilhosos, para todos aqueles que trabalharam intensamente para que aquele dia fosse único e especial... Desejei, do fundo do coração, que todas aquelas pessoas tivessem saúde suficiente para poder viver a vida como ela deve ser, de forma simples e, como uma dádiva de Deus...
É a lembrança deste dia que, na correria do dia-a-dia, me impulsiona, me reabastece de energia, me completa... Viva o amor!!!"

Lindo demais, não acham? 

Beijos,
Manú